domingo, 29 de setembro de 2013

Ser jipeiro é...


Ando um pouco afastado do Blog pois minha viatura está uns dias paradas no mecânico, mas logo estaremos de volta com novas dicas de trilhas e passeios no Paraná. Enquanto isso posto um texto extraído da página  www.motoronline.com.br, que pertence ao meu Professor Luiz Augusto Pelisson, grande Mestre, Jipeiro e acima de tudo uma pessoa fantástica.




Ser Jipeiro é...


  • Ficar ofendido quando alguém chama a sua viatura de carro;
  • Ser indagado no posto de gasolina: "É 4x4?"; "Você faz trilha?"; "Anda bem?"; "Quanto custa um desses daí?";
  • Escolher o shopping center pela altura do estacionamento;
  • Escolher o prédio para morar pela altura das garagens;
  • Ter a vaga do estacionamento do prédio personalizada (aquela meio marrom, onde nascem uns matinhos);
  • Não ter nenhuma camiseta totalmente branca (muito menos meias);
  • Fazer sucesso entre a molecada ao buscar os filhos na escola;
  • Não fazer tanto sucesso ao buscar a esposa no cabeleireiro;
  • Acostumar com a pergunta: "Tio leva a gente para dar uma voltinha";
  • Acostumar com a pergunta da esposa "Mas tem que ir de jipe???";
  • Torcer para chover no final de semana;
  • Ser odiado pelos funcionários do lava-car;
  • Ser amado pelo dono da autopeças;
  • Ter na carteira mais cartões de oficinas e distribuidoras de peças do que dinheiro;
  • Ignorar a descoberta que a menor distância entre dois pontos é uma reta (a menos que na reta tenha um atoleiro);
  • Ligar na concessionária só para saber quanto não se deve pagar por uma peça, e não se contentar até achar a peça num valor 4 vezes menor, e se achar num valor menor ainda espalhar pra todo mundo e, se comprar na concessionária ninguém fica sabendo nem sob tortura, nem em confissão no leito de morte;
  • Ter um estoque de peças na viatura que dá para montar outra;
  • Não entender a função da profissão "martelinho de ouro";
  • Explicar ao balconista que vc precisa da peça Chevrolet, que que servia no Puma, mas era usada no Gurgel, e que é para ser colocada no seu jipe (numa função totalmente diferente da original, é claro);
  • Ser chamado por vizinhos de madrugada para rebocar o carro de não sei quem que quebrou ou está atolado não sei aonde e não sei quando devido à não sei o quê... Os mesmos vizinhos que um dia chamaram o seu jipe de lata velha e falaram para você trocá-lo por um carro mil, econômico, moderno e silencioso;
  • Ter muitos amigos.

Seja um jipeiro consciente


  • Evite manobras exibicionistas dentro do perímetro urbano (lugar de acelerar é na trilha!!!);
  • Respeite as leis de trânsito;
  • Feche as porteiras, não corte cercas;
  • Peça permissão para o proprietário das terras. Pare. Seja gentil e converse com ele;
  • Diminua a velocidade perto de casas, vilas, povoados;
  • Respeite a propriedade alheia, passe somente onde for permitido;
  • Evite fazer barulho perto de animais, galinheiros, etc.;
  • Não ande por dentro das plantações ou em terras preparadas para o plantio;
  • Nunca deixe lixo nas trilhas;
  • Lembre-se que você não é dono da trilha nem das terras onde anda.

Agindo assim, garantiremos um bom relacionamento com a população rural e teremos nossos caminhos e trilhas sempre abertos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário